Continuous Tenses

Se preferir, assista ao vídeo sobre o assunto:

Neste post eu vou falar sobre a construção de três tempos verbais: os tempos contínuos.

Eles expressam uma ação que começou em dado momento, terminou em outro momento, e você quer expressar algo que aconteceu nesse ínterim. A construção desses tempos verbais é simples, idêntica a da língua portuguesa.

Vamos observar algumas frases em português:

Você está estudando.
Eu estou explicando.
Eles estão ouvindo.
Nós estamos comendo.

Repare suas construções. O que elas têm em comum? Elas têm exatamente a mesma estrutura.

O sujeito, o verbo auxiliar “estar”, e o verbo principal no gerúndio, terminando em “ndo”.

A construção em inglês vai ser idêntica a esta: o sujeito é o sujeito mesmo; o verbo estar em inglês é o sempre presente verbo to be; e o sufixo equivalente ao “ndo”, em inglês, é o “ing”.

Então a frase “você está estudando” ficaria “you are studying.”, ou sua forma abreviada “you’re studying.”

Já a frase “eu estou explicando” se traduz como “I am explaining.”, ou “I’m explaining.”

“Eles estão ouvindo” seria “they are listening”, ou “they’re listening.”

E “nós estamos comendo” ficaria “we are eating”, ou “we’re eating.”

Vale lembrar que a adição do ing obedece a regra do CVC, que eu já expliquei aqui.

Todas as frases acima estão no Presente. Como seria o Passado?

Como ficaria a frase “você está estudando” no passado? “você estava estudando.” Certo?

O sujeito mudou? O verbo principal mudou? Não! Só quem mudou foi o verbo estar. O mesmo vai acontecer no inglês, com o verbo to be, e a variação aqui vai ser bem simples:

Para fazer o Futuro, basta a gente usar o conhecimento aprendido com o verbo modal will, como explicado neste linkSe para colocar todo verbo no futuro simples, basta adicionar o will antes do verbo sem conjugação, o verbo to be, no futuro, será “will be”. Para todas as pessoas!

Ou seja, se a gente passar as frases citadas aqui pro futuro, a gente vai ter:

You will be studying.
I will be explaining.
They will be listening.
E we will be eating.

Ou suas formas abreviadas.

Já o Passado vai ser um pouquinho mais complicado que o futuro, mas mais simples que o presente: para as pessoas cujo verbo to be é “am” ou “is”, ou seja, a primeira e a terceira pessoas do singular, o verbo to be no passado será “was”. Já para as demais pessoas, basicamente as do plural e o “you”, o verbo to be vai ser “were”.

Logo, os exemplos dados anteriormente ficariam:

You were studying.
I was explaining.
They were listening.
E we were eating.

Agora, se quisermos fazer negações nos tempos contínuous, basta seguirmos o que já foi visto anteriormente, sobre forma negativa e verbos auxiliares, e acrescentarmos o “not” depois do verbo auxiliar, que, só para que você não esqueça, é o verbo to be. Então teremos:

“You aren’t studying” se for no presente.
Ou “I wasn’t explaining.” Se for no passado.

Só o Futuro que vai ter uma pequena diferença, já que existem dois verbos auxiliares. Logo, assim como também no post sobre a estrutura dos tempos verbais, é o primeiro verbo que vai receber no “not”, no caso, o “will”.

Então o terceiro exemplo, no futuro, ficaria “they won’t be listening.”

Para terminar, como já é de praxe, a gente vai fechar com a forma interrogativa.

Como visto anteriormente, basta trocar a posição do verbo auxiliar com o sujeito da frase e acrescentar o ponto de interrogação no fim dela pra transformá-la numa pergunta.

Ou seja, a afirmação “we are eating.” viraria a pergunta “are we eating?”

Um abraço!



Deixe seu comentário:




adjetivo adjetivos comparatives comparativos construção continuous declinação dica diferenças future gramática Inglês interrogative lista locução língua negative objeto ordem palavra past perfect pessoais portuguesa português present primeira pronome pronomes pronouns pronúncia redação relativos segunda sentido simple sufixo sujeito tempo tense terceira texto transitividade uso verb verbal verbo verbos vogal vídeo