Licença Poética

Se preferir, assista ao meu vídeo sobre o assunto:

Hoje em dia é muito comum, ao destacarmos um erro de uso da língua, seja em músicas, poesias ou algum outro tipo de criação artística, recebermos como desculpa a tal da “licença poética”. Só que é preciso muito cuidado com isso, pois só deve ser considerado licença poética algo que é feito intencionalmente, conscientemente.

Para melhor ilustrar o que disse acima, citarei duas músicas de bandas que gosto muito: Mim Quer Tocar, do Ultraje a Rigor, e Não Olhe pra Trás, do Capital Inicial. Veja abaixo o esquema:

Caso 1:

Mim quer tocar
Mim gosta ganhar dinheiro
Me want to play
Me love to get the money

Mim é brasileiro
Mim gosta banana
Mas mim também quer votar
Mim também quer ser bacana

Caso 2:

Nem tudo é como você quer
Nem tudo pode ser perfeito
Pode ser fácil se você
Ver o mundo de outro jeito (…)

Se não faz sentido
Discorde comigo
Não é nada demais

Ao analisarmos as duas letras, vemos que no primeiro caso o uso exageradamente errado e repetitivo da língua é consciente, já que a intenção do compositor, como na maioria das letras da mesma banda, é de criticar, provavelmente pessoas que mal sabiam escrever em Português (ou em Inglês, como é sugerido) e faziam sucesso.

Já o segundo caso traz dois erros de uso da língua (em negrito). No primeiro, o correto seria vir, ao invés de ver, devido à condicional (Futuro do Subjuntivo) do verbo ver. Este erro porém é muito comum aos falantes de língua Portuguesa, pois ocorre a confusão com o verbo vir, cuja condicional equivalente é vier. Já o segundo é um erro de regência, também muito comum, já que se confunde com seu contrário: quem concorda, concorda com alguém; já quem discorda, discorda de alguém. Logo, o correto seria discorde de mim.

Sinta-se em casa! Comente este texto.



Deixe seu comentário:




adjetivo adjetivos comparatives comparativos construção continuous declinação dica diferenças future gramática Inglês interrogative lista locução língua negative objeto ordem palavra past perfect pessoais portuguesa português present primeira pronome pronomes pronouns pronúncia redação relativos segunda sentido simple sufixo sujeito tempo tense terceira texto transitividade uso verb verbal verbo verbos vogal vídeo