Perfect Continuous Tenses

Se preferir, assista ao vídeo sobre o assunto:

Em posts anteriores eu já falei sobre os tempos contínuos e perfeitos. Neste eu vou misturar os dois, e falar sobre os Perfect Continuous Tenses.

A maior parte da explicação segue o que foi dito no vídeo dos tempos perfeitos. Então a gente vai ter o verbo auxiliar “have” e o verbo seguinte no particípio. É aqui que a gente começa a misturar.

Como os tempos contínuos usam o verbo “to be” como auxiliar, vai ser justamente o verbo “to be” que vai vir no particípio – no caso, “been”. E como nos tempos contínuos o verbo principal recebe o sufixo +ing, o mesmo vai acontecer aqui. Então a gente tem, por exemplo, a frase “I’ve been working a lot lately.”

Esta construção tem o sujeito, o verbo “have”, aqui em sua forma abreviada, o to be no particípio, e o verbo principal work com o +ing.

Resumindo: todas as frases deste tempo verbal terão o primeiro auxiliar have, que é quem vai receber as conjugações de Passado e Futuro e definir as formas negativa e interrogativa – exatamente como vimos no outro post -, depois o been como segundo auxiliar, e por fim o verbo principal, que sempre vai receber o +ing, independente do tempo verbal ou da forma da frase.

Um abraço!



Deixe seu comentário:




adjetivo adjetivos comparatives comparativos construção continuous declinação dica diferenças future gramática Inglês interrogative lista locução língua negative objeto ordem palavra past perfect pessoais portuguesa português present primeira pronome pronomes pronouns pronúncia redação relativos segunda sentido simple sufixo sujeito tempo tense terceira texto transitividade uso verb verbal verbo verbos vogal vídeo