Simple Present

Se preferir, assista ao vídeo sobre o assunto:

Na língua portuguesa, cada verbo vai assumir seis formas diferentes quando conjugado, independente do tempo verbal. Já no inglês, este número é de no máximo três, sendo que o mais comum é só ter uma conjugação.

No caso da forma afirmativa do Simple Present, os verbos só terão duas conjugações diferentes: uma mais completa, pra terceira pessoa do singular – ou seja, o he, o she, e o it -, e uma mais simples, pra todas as outras pessoas.

A mais simples não poderia ser mais simples: basta repetir o verbo, sem a marca do infinitivo “to”. Se eu quero dizer “eu corro”, em inglês eu vou dizer “I run”. Se eu quero dizer “você estuda”, em inglês eu digo “you study.”

A mesma coisa vai acontecer com o “we”, como em “we sleep”, e o “they”, como em “they work.”

Já pra terceira pessoa do singular, a gente precisa aplicar a regra do “s”. Sim, é a mesma regra usada pro plural regular. A regra do “s” possui 3 variações, que vão ser usadas de acordo com a terminação do verbo usado:

1. Se o verbo terminar com consoante + y, ou seja, com y tônico, a gente precisa tirar o “y” e acrescentar “ies”.
Se eu quero dizer “ela estuda”, eu digo “she studies”. E se eu quero dizer “ele voa”, pra falar de um animal, eu vou dizer “it flies”.

2. A segunda variação precisa de um pouco mais de atenção. De forma simplificada, ela vai ser aplicada para verbos terminados em s, h, o, x, z. Shoxz! Para ficar mais fácil de lembrar. Nestes casos, basta acrescentar o “es” no fim do verbo. Se eu quiser dizer “ele faz”, eu digo “he does”. E se eu quero dizer “ela mistura”, eu digo “she mixes”.

3. A terceira variação vai englobar todos os outros verbos, aqueles que não se enquadram nem na primeira, nem na segunda, ou seja, não terminam em consoante + y, s, h, o , x ou z. Neste caso, basta acrescentar o “s” no fim do verbo. Para dizer “ele corre”, eu digo “he runs”. Já para dizer “ela trabalha”, eu digo “she works”.

OBS.: A primeira variação não engloba todos os verbos terminados em “y”. Só os tônicos, com consoante antes deles. Se antes do “y” vier uma vogal, como por exemplo nos verbos play ou buy, ele vai se enquadrar na última variação, recebendo só o “s”.

Vamos então ver alguns exemplos de frases com as duas conjugações:

“I watch tv.” ≠ “He watches tv”.

“We cry a lot” ≠ “She cries a lot.”

“You eat fast.” ≠ “It eats fast.”

“I go to the movies” ≠ “He goes to the movies.”

Como já foi dito aqui, as formas interrogativa e negativa dos tempos verbais vão trabalhar em cima do verbo auxiliar, e não do principal. No caso do Simple Present, a gente vai usar o “do”.

Na Forma Negativa, a gente usa “don’t” ou “doesn’t” antes do verbo principal. O don’t é o verbo auxiliar “do”, mais o advérbio de negação “not”. Já o doesn’t é a variação conjugada do auxiliar “do”, que, como termina com “o”, recebe a variação terminada em “es”, mais o advérbio “not”. Logo, como tem a regra do “s”, a gente consegue deduzir que o doesn’t vai ser usado com o he, o she e o it, enquanto o don’t vai servir para as outras pessoas.

E, como o inglês não costuma duplicar regras, se a regra já foi aplicada ao verbo auxiliar, ela não vai existir no verbo principal. Ou seja, se a frase afirmativa é “she runs fast”, sua forma negativa vai ser “she doesn’t run fast.”

Já para fazer perguntas, basta começar a frase com “do” ou “does”, como já foi explicado anteriormente, e terminar a frase com o ponto de interrogação.

Um abraço!



Deixe seu comentário:




adjetivo adjetivos comparatives comparativos construção continuous declinação dica diferenças future gramática Inglês interrogative lista locução modal negative objeto ordem past perfect pessoais português present primeira pronome pronomes pronouns pronúncia redação relativos segunda sentido simple sufixo sujeito tempo tempos tense tenses terceira texto transitividade uso verb verbais verbal verbo verbos vídeo